O que é open banking e como funciona?

O open banking é uma solução que trará a oferta de mais serviços e produtos por um custo menor. Também permitirá maior transparência aos clientes, que usufruirão de mais autonomia em relação à vida financeira.

Essa inovação permitirá ao cliente ser o dono de seus dados financeiros. Ele terá o direito de escolher com quais empresas vai compartilhá-los e quando. Saiba mais sobre o assunto!

O que é open banking?

O open banking reúne uma série de tecnologias e de regras que possibilitam o compartilhamento de dados e de serviços dos clientes entre os bancos por meio da integração de seus sistemas.

O open banking está fundamentado na permissão e autorização do cliente, ou seja, as instituições deverão, por obrigação, fazer o compartilhamento das informações de determinado cliente (empresa ou pessoa física), caso ele peça e autorize a transmissão de seus dados para outra empresa.

Não se trata de um aplicativo para compartilhar informações. O cliente solicitará diretamente às instituições o compartilhamento dos dados por meio de aplicativos que elas próprias já têm.

Outros produtos e serviços aparecerão conforme o sistema se desenvolva no Brasil, mas sempre conforme a série de regras definidas para criá-lo.

Quais são os dados que serão compartilhados?

No Brasil, prevê-se o compartilhamento de dados como:

  •         Dados pessoais: nome, RG/CPF, endereço, telefone e assim por diante;
  •         Dados transacionais: informações sobre renda, capacidade de compra, perfil de consumo, conta corrente, faturamento (empresas) e outras;
  •         Dados sobre produtos/serviços do cliente: informações sobre financiamentos, empréstimos e assim por diante.

O processo para liberar esses dados ocorrerá de forma gradual durante o ano de 2021.

open banking

Como funciona o open banking?

O processo completo de open banking ainda não está definido, mas algumas etapas sim. Falando da liberação de dados, caso um cliente deseje que o banco X, no qual tem conta, faça o compartilhamento de seus dados com a instituição financeira Y (que não precisa ser um banco, pode ser uma fintech, por exemplo), o processo se inicia na instituição que receberá os dados.

Ele solicitará a Y para que entre em contato com X e informe sobre a sua solicitação. X, então, contatará o cliente para confirmar se ele, efetivamente, realizou o pedido.

Caso o cliente confirme e autorize, X compartilhará os seus dados pessoais com Y. Algo semelhante ao que acontece com o processo de portabilidade.

A experiência dos clientes será um dos mais importantes aspectos do open banking. Como eles terão diferentes opções para utilizar, as instituições financeiras precisam apostar em soluções mais simples e intuitivas.

Quais são as vantagens do open banking?

A principal vantagem do open banking é que ele permite que o cliente seja o dono efetivo de seus dados — e não o banco no qual ele tem conta.

No Brasil, ainda existe um certo “monopólio” de informações do cliente que o deixa mais limitado em relação à sua vida financeira.

Por exemplo, caso um cliente tenha conta no banco X, esse banco tem em seu poder o histórico de crédito do cliente, que mostra, entre outras coisas, se ele é ou não é um consumidor adimplente.

Consequentemente, caso essa pessoa deseje solicitar empréstimo no banco Z, ela encontrará algumas dificuldades, considerando que Z não tem informações suficientes sobre o consumidor para definir se ele realmente tem condições de pagar o empréstimo — os dados estão concentrados no sistema do banco X.

Com o open banking, essa limitação será derrubada. Haverá mais democratização para empréstimos e outros produtos/serviços financeiros, já que o cliente decidirá pelo compartilhamento de dados com instituições financeiras diferentes, que oferecem aquilo que ele precisa em condições mais vantajosas.

Ele escolherá assim o banco com melhor taxa de corretagem para seus investimentos, aquele que oferece cartão de crédito sem anuidade e assim por diante. A competitividade entre as instituições tende, portanto, a aumentar.

Com a ajuda do open banking, o cliente poderá, em certo sentido, construir seu próprio “banco” — aproveitando os serviços e produtos que sejam realmente relevantes e pagando menos por eles.

Sua empresa vai se favorecer muito com o novo sistema, não acha? Todos queremos reduzir gastos. Por falar em gastos, aproveite e confira se sua empresa está perdendo dinheiro e precisa de otimizações na gestão!

Comentário no facebook

Login to your account below

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.